Receita milagrosa

0

Ocasionalmente surge uma receita milagrosa para eliminar aquelas gorduras abdominais que incomodam tanta gente. Uma que eu vi recentemente é a mistura de farinha de aveia, ameixas secas fervidas em água, sementes de linhaça e kefir. Olhando para os ingredientes individualmente, é fácil compreender que são alimentos , normalmente, associados a uma “alimentação saudável”, mas será que esta mistura, que se recomenda que seja tomada em jejum, todos os dias, tem realmente resultados tão eficazes na redução da gordura abdominal?

Aveia

É um cereal antigo, cujo valor, durante muitos anos, foi negligenciado. Atualmente tem vindo a ganhar importância na alimentação dos portugueses, sobretudo, para quem os cuidados a ter com a alimentação representam uma preocupação. Sendo um cereal, como seria de esperar, tem uma elevada riqueza em hidratos de carbono (61,7g/100g), quase na totalidade sob a forma de amido (hidrato de carbono complexo). É também uma fonte considerável de fibra (6,7g/100g) e de proteína (13,5g/100g), o que resulta no seu baixo índice glicémico. É ainda uma excelente fonte de minerais, como fósforo (220mg/100g – 31% DDR), magnésio (120mg/100g – 32% DDR) e zinco (4,5mg/100g – 45% DDR), e de vitaminas, como vitamina B1 (0,27mg/100g – 25% DDR) e vitamina B6 (0,2mg/100g – 14% DDR).

Atualmente, os flocos de aveia são muito utilizados para fazer papas de aveia, podendo ser confecionadas com água, leite ou bebidas vegetais, há quem adicione ao iogurte (promovendo, talvez sem querer, uma refeição simbiótica, ou seja, combinando os probióticos do iogurte com a fibra, que é um prebiótico, o que vai resultar num lanche de grande valor para o flora intestinal) e muitos utilizam a farinha de aveia como alternativa e/ou complemento à farinha de trigo para variadas receitas. Sendo a sua utilização, sobretudo, como alternativa a cereais de pequeno-almoço, o seu valor acresce porque não existem no mercado outros cereais cuja constituição seja tão pura como os flocos de aveia. Quer estejam na forma integral ou não, estes não possuem adição de açúcar e o único ingrediente que os constitui é, efetivamente, a aveia.

Como resultado de uma grande riqueza nutricional, os benefícios do consumo de aveia são vários. As fibras constituintes da aveia são, na sua maioria, solúveis, abundando as gomas. Consequentemente, o consumo de aveia traduz-se num efeito modulador dos níveis sanguíneos de açúcar e colesterol e regulador do trânsito intestinal. No entanto, pode ter em algumas pessoas, um efeito laxante, que pode ser minimizado se deixar a aveia demolha por cerca de 6 horas ou cozinhá-la em água, de forma a quebrar as fibras constituintes.

Ameixas secas

As ameixas são um fruto por todos conhecido, sendo característica a diversidade de cores e a sua doçura. Quando secas/desidratadas, o seu teor em fibra aumenta consideravelmente (7g/100g), tornando-a num bom alimento para a microflora intestinal. Contudo a presença em fibras, confere-lhe um forte poder laxativo e, enquanto seca, esta fruta fica mais concentrada, apresentando um conteúdo mais elevado em açúcar (38g/100g), o que a torna mais calórica também (240g/100g). Por estes dois motivos, deve ser tida em atenção a quantidade que se ingere. Para além disto, destaca-se a sua riqueza em antioxidantes, nomeadamente, em fenóis e vitamina C, que constribui também para uma melhor absorção de ferro a nível intestinal.

Sementes de linhaça

As sementes de linhaça provêm do linho, sendo utilizadas sobretudo a nível culinário. Apesar de muitas vezes serem ingeridas inteiras, aconselha-se a sua moagem de forma a melhorar o aproveitamento das suas propriedades nutritivas (consumida inteira, a linhaça atravessa o trato intestinal chegando ao final praticamente inteira). Pode ser comprada moida ou ser triturada em casa, o que é preferível, quando possível, pois permite conservar melhor os ácidos gordos presentes na mesma. Para além disso deve ser conservada no frigorífico, optando por triturar apenas momentos antes de utilizar.

É uma semente rica em ácidos gordos polinsaturados da família ómega-3 (1 colher de sopa contém cerca de 1,8g de ácidos gordos ómega-3). É a maior fonte alimentar de lignanas (fitoesteróide que mimetiza a ação dos estrogénios), pelo que pode acrescer o seu valor para a mulher no período da menopausa. Estas sementes são, ainda, uma fonte de fibras tanto solúveis como insolúveis. Atribuem-se diversos benefícios à linhaça, havendo quem a considere um super-alimento. No entanto, apesar da sua riqueza nutricional, são necessários mais estudos para garantir o seu efeito protector ao nível do cancro da mama, próstata e cólon. Para além disso, o consumo diário (recomenda-se cerca de 1 a 2 colheres de sopa rasas de linhaça moída) parece ter efeitos ao nível da normalização do colesterol sanguíneo, o que contribui para a diminuição do risco de doenças cardiovasculares, e ao nível da melhoria dos níveis de glicémia, ajudando no controlo da diabetes.

Cacau

O cacau é um fruto rico em fitoquímicos, particularmente em flavenóides, que têm um elevados poder antioxidantes. Adicionalmente, tem um teor considerável em triptofano, um aminoácido envolvido na produção de serotonina, ou seja, um neurotransmissor relacionado com a sensação de prazer e bem-estar.

No entanto, na produção de chocolate são adicionados outros ingredientes ao cacau, que lhe permitem adquirir o gosto e aparência característicos. São eles açúcar e manteiga de cacau, por isso recomenda-se que, para tirar proveito dos benefícios do consumo de cacau, quando se fala em chocolate deve optar-se pelos que têm um teor superior a 70% de cacau (consequentemente, terão menor quantidade de açúcar e manteiga de cacau adicionada). Ainda que benéfica para a saúde, a ingestão de chocolate (com mais de 70% de cacau) não deve ser superior a cerca de 25g por dia.

Kefir

O kefir é um alimento semelhante ao iogurte feito com leite de vaca, cabra ou ovelha, ao qual é adicionada uma cultura bacteriana (o kefir), deixando-se depois a fermentar por cerca de 24 horas, até a mistura ganhar mais consistência. Após esse período pode ser consumida, tal e qual um iogurte natural normal, com a vantagem de ser mais abundante em “boas” bactérias e fermentos (probióticos) que podem colonizar o trato gastrointestinal e contribuir para a diminuição da flatulência e regulação do trânsito intestinal. Pode ser feito a partir de um leite com baixo teor em matéria gorda, adquirido uma valor calórico baixo (40kcal/100g), com um teor médio em proteína (3,3g/100g) e não muito elevado de açúcar (4,8g/100g).

Estudos em animais revelaram que o kefiran (um polissacárido presente no kefir) está associado à diminuição do colesterol sanguíneo e da pressão arterial (no entanto são resultados com muito ainda por explorar). Para indivíduos com intolerância à lactose, para os quais mesmo a pequena quantidade de lactose presente nos iogurtes não é bem tolerada, podem ter no kefir uma alternativa viável, pois durante o processo fermentativo este açúcar é eliminado na sua quase totalidade.

 

De facto, pelas propriedades destes alimentos, o resultado que a ingestão de um pequeno-almoço semelhante a este terá a curto prazo é uma melhoria do trânsito intestinal, estimulando o bom funcionamento da microflora intestinal. Consequentemente, muitas pessoas sentir-se-ão menos inchadas na região abdominal e, como tal, poderão ter a ideia de que são reais os resultados na “eliminação da barriga” ou diminuição da gordura abdominal.

No entanto, é preciso ter presente que para haver emagrecimento (perda de massa gorda), mesmo que seja de forma mais localizada, há necessidade de promover um balanço energético negativo (gastar mais energia do que aquela que é ingerida), de forma constante e repetida (não basta fazê-lo apenas durante uns dias). Este balanço negativo pode ser conseguido pela diminuição da ingestão energética, pelo aumento da atividade física ou, idealmente, pela combinação destes dois fatores.

Faça mudanças na sua alimentação e aumente a atividade física diária. Assim conseguirá alcançar os seus objetivos, de forma saudável e equilibrada. Não acredite em todos os “milagres do emagrecimento” e procura adoptar um estilo de vida saudável em vez de procurar solução imediatas.

 

Sofia Dinis

Nutricionista http://omeupeso.com

Tel:213 880 351

Share.

About Author

Sou um apaixonado pelo desporto. Atualmente sou triatleta amador e treinador pessoal. Licenciado em Ciências do Desporto, mestre em gestão de empresas, sou especializado em programas de perda de peso. Sou ainda autor do livro Correr para emagrecer e criador das marcas TreinoEmCasa ® (treino personalizado em casa), Treino Virtual ® (treino personalizado online) e FitZai ® (software de planeamento e controlo de treino).

Leave A Reply