O vício do açúcar

0

O açúcar, apontam os especialistas da área através de vários estudos*, pode ser tão viciante como a heroína e o seu consumo de forma compulsiva uma doença grave. A ingestão excessiva de açúcar está diretamente associada a inúmeras doenças como a diabetes, a obesidade, a hipertensão, doenças cardíacas, aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos, doenças infeciosas, etc. e também a problema e desequilíbrios psicológicos.

Ao consumirmos hidratos de carbono simples inicia-se um ciclo vicioso no nosso organismo, gera-se um aumento da glicemia (açúcar no sangue) e o cérebro liberta dopamina, o que dá uma sensação de prazer. À medida que a insulina vai sendo libertada pelo pâncreas, os níveis de açúcar voltam a descer, assim como a dopamina. Com a glicemia reduzida, voltamos a sentir apetite e compulsão por alimentos açucarados, desejo associado a alguma irritabilidade e cansaço. Assim, volta-se a repetir o ciclo.

Durante este processo, o nosso cérebro responde de forma semelhante à dependência das drogas tradicionais pois o açúcar pode ser igualmente viciante, levando a que no nosso corpo ‘peça’ mais alimentos doces de forma a voltar a ter a sensação de prazer. Quando nos encontramos ‘viciados’, a sua carência pode despoletar mudança drásticas na disposição e humor da pessoa, daí a necessidade de desmame do açúcar de modo a desintoxicar o corpo e quebrar o ciclo.

Alimentos a evitar:

  • açúcar simples
  • farinhas refinadas e produtos derivados como a massa e o pão
  • arroz branco
  • sumos, chás e refrigerantes açucarados
  • produtos processados com açúcar adicionado (atenção aos molhos)
  • bolos, pasteis, bolachas e gelados em geral

Formas de controlar o apetite por doces:

  • Comece o seu dia com um pequeno almoço saudável e saciante e vá comendo a miúde, no máximo de 3 em 3 horas;
  • Durma 7 a 8 horas por dia. A falta de energia, derivada do cansaço, desperta o nosso apetite por alimentos mais calóricos e doces;
  • Beba 1,5 litros de água por dia. Muitas vezes o nossos cérebro confunde os sinais de fome e de sede;
  • Pratique alguma actividade física de forma a acelerar o seu metabolismo e aumentar os seus níveis de energia;
  • Leia os rótulos atentamente de forma a encontrar eventual açúcar escondido e poder fazer escolhas mais saudáveis. Opte por alimentos menos processados, com menos aditivos e o mais naturais possível.
  • Limpe a sua casa / carro / local de trabalho de alimentos ricos em açúcar. Assim, não estarão à vista nem por perto caso tenha um ataque de gula.

Obviamente que para tudo é necessário equilíbrio e bom senso. Podemos comer um ou outro doce numa ocasião especial e não nos devemos culpabilizar por isso – desde que não se torne num hábito nem numa compulsão.

Para acompanhamento personalizado de treino e nutrição, consulte as nossas soluções.

* Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12055324

 

Share.

About Author

Leave A Reply